Eco Ação

Em seu extenso territórrio, o Japi é considerado Santuário – Patrimônio, possui protocolos legais de preservação em todas as esferas, desde os municipais (municípios que o Japi se insere – Jundiaí, Cabreúva, Pirapora do Bom Jesus e Cajamar), estadual (APA Cajamar, Cabreúva e Jundiaí, e CONDEPHAAT - Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico), federal (Mata Atlântica, Sistema de Unidades de Conservação e Área de Preservação Permanente) e internacional (Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da cidade de São Paulo).
Sua importância sublime foi referendada com esse ato internacional da ONU, decretando-a patrimônio da humanidade.
Mesmo com todas estas designações, infelizmente a luta para manter o Japi VIVO é árdua com entraves e enclaves, que objetiva a continuidade dos serviços ambientais fornecidos à coletividade não somente no presente, mas para as futuras gerações que ainda estão por vir.
Algumas ações contribuem para este ideal, como as pesquisas científicas, educação ambiental em todas as vertentes, políticas de desenvolvimento sustentável, gestão aplicada, monitoramento ambiental, plano de manejo, entre outras que podemos e devemos fazer, ou exigir dos poderes públicos.
Não podemos mais permitir o flagelo ao Japi! As atividades humanas – ações antrópicas, que interferem e impactam o meio, devem cessar, serem denunciadas e renunciadas.
Atentemos para estas ações; desvios e intervenções de cursos d’água, edificações irregulares, parcelamento do solo, uso das estradas para atividades altamente degradáveis, abandono de animais domésticos, despejos de entulho e lixo, prática de caça, prática de cultos religiosos, ateamento de fogo, desmatamento, atividades com grau intenso de som e outras.

DENUNCIE !! O JAPI AGRADECE E AS FUTURAS GERAÇÕES TAMBÉM!!




22 abril 2010

Cenários de Gestão e Preservação Ambiental na Serra do Japi

Tenho intensamente participado desta Gestão do Conselho do Território da Serra do Japi, comprimindo em meu dia-a-dia as inúmeras tarefas, para dispor um tempinho de dedicação.

Como já postei neste espaço, vivo esta pequena contribuição, como conselheira, fomentando um ato de cidadania e envolvimento com as questões ambientais, no que tange nosso precioso santuário: Japi.

Não é tarefa fácil abdicar de tempo para viver ideais, mas é prazeroso por demais vivenciar isso!!

Mensalmente reuno-me com o Grupo de Conselheiros, composto por diversos segmentos para aplicar a Gestão Ambiental no território Japi. Estas reuniões ocorrem todas as terceiras quartas-feiras dos meses, raras exceções quando postergada devido a algum feriado, como ocorreu este mês.

Além de ressaltar o convite a todos que se interessam pela questão, em participar, contribuir de alguma forma e dispor de tempo e idéias para enfim alinharmos a preservação desta relíquia, quero narrar de forma suscinta alguns acontecimentos e discussões do Conselho, instigando os apreciadores das montanhas amoldadas no horizonte.

Nesta última reunião, profissionais habilitados do corpo técnico da Fundação Florestal, órgão ligado a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, aceitaram nosso convite para explanar sobre a polêmica criação de um Parque Estadual na Serra do Japi.

As informações preciosas de cunho legal e técnico dispensadas, delinearam em atender as expectativas, não de equacionar um denominador comum neste momento, pois ainda muito se têm a discutir, mas reforçar a importância de planejar pro-ativamente e criteriosamente a continuidade da preservação da Serra do Japi, como patrimônio da biodiversidade, lá contida e retida por anos à fios.

Alguns pontos interessantes do contexto abordado, trago aqui no texto:

- Novo e moderno conceito de implementação de Unidade de Conservação, com a criação de MOSAÍCOS de Unidades: no município de Jundiaí já temos uma Reserva Biológica (Unidade de Conservação de Proteção Integral), somos uma APA Estadual (Unidade de Conservação de Uso Sustentável), assim poderíamos acrescer; um Parque (Estadual ou Intermunicipal – Unidade de Conservação de Proteção Integral) com a interligação de RPPN’s (Reserva Particular de Patrimônio Natural – Unidade de Conservação de Proteção Integral) em propriedades que há veemente interesse de seus respectivos proprietários, em preservar plenamente o pico;

- Plano de Manejo: há quase dois anos foi elaborado um criterioso Plano para a Rebio, porém ainda continua impresso somente nas inúmeras páginas do apresentável trabalho, sendo sua implementação imediata à partir das constatações descritas em seus programas, assim sendo, sua confecção de nada vale, se permanecer na gaveta de algum gabinete;

- Uma nova categoria de Unidade de Conservação: Monumento Natural que não demanda a desapropriação desde que haja compatibilidade do uso da propriedade em preservar.

- Parque Estadual (Unidade de Conservação de Proteção Integral): segundo os profissionais da Fundação Florestal, com toda a deficiência do Estado (e que deficiência!!), esta “categoria” é a que mais protege e preserva a biodiversidade e as áreas florestais no Estado; e por fim, a ratificação da importância do Japi para os municípios abrangidos e região;

- O Japi é considerado área prioritária de preservação pelo projeto Biota da FAPESP.

Estas discussões, muitas vezes acaloradas, vêem a calhar neste momento em que infelizmente o Japi encontra-se abandonado...


14 comentários:

  1. Olá Paty!

    Me preocupa muito o impacto que o municipio de Cajamar possa causar a Serra do Japi. A grande pressão imobiliária e a proximidade com São Paulo são alguns dos problemas que enfrentamos.
    Estamos com a APA sem regulamentação e com a visita do Conselho de APA à cidade, passamos a ser considerados moradores de uma "cidade sem lei" por tantos problemas apresentados.
    A implementação de um Parque Estadual em Jundiaí exercerá uma pressão enorme aqui, o que ajudará muito nossos trabalhos.


    Um grd bj.

    ResponderExcluir
  2. Parabens pelo trabalho, abçs
    Mantenha-se no foco
    Fabio

    ResponderExcluir
  3. Ola Nelsinho!!

    Não só Cajamar, Cabreúva tb sofre outros problemas e a pressão demográfica está consumido este eixo São Paulo - Campinas.

    A união de forças é essencial para suprir este anseio.

    E de nada adianta temos só o papel formatado, se na prática a incompatibilidade é gritante.

    Forças sempre
    Sds Japienses.
    bjo
    Paty

    ResponderExcluir
  4. Obrigada, Fábio, pela visita e pelo comentário!

    Manterei-me sim!!

    Sds Japienses.
    Patrícia

    ResponderExcluir
  5. Olá Paty!
    Força! Fico mais tranqüila em saber que temos uma guerreira cuidando do nosso Japi,estamos longe mais atentos.
    Beijão,
    Si.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Paty, vim agradecer o carinho e o estímulo, retomo minha rotina normalmente a partir de amanha depois do 'molho' forçado. Bjos e boa semana, nos falamos!

    ResponderExcluir
  7. Putz, esqueci: parabéns a voce, nessa data querida!

    ResponderExcluir
  8. Oi Si!! Saudades Sua, Suas!!

    Desejo q estejam bem ai!!
    Apareçam!!!
    Valeu pela visita e pelo predicado!

    Forças ai tb!

    Bjão
    Paty

    ResponderExcluir
  9. Valeu Querido André!

    Q bom que estas restabelecido!!

    Bjão e inté
    Paty

    ResponderExcluir
  10. Paty, tenho selinho pra você menina que encanta!
    Espero que goste, quero ver suas respostas!!!
    Mil beijos,
    Pri

    ResponderExcluir
  11. Orquidea da Floresta
    Não lembrei do niver - 24 é isso?
    Andei dando uma repaginada no blog e perdi alguns links e até agora não consegui adicionar.
    Mas ainda bem que hoje na madrugada tive tempo e comecei a fuçar até que parei no blog da Pri.
    Sinto-me feliz e recompensada pela amizade de vocês duas viu! Aquela moça é uma pérola.
    Pérolas quando se juntam formam o mais lindo dos colares.
    Desejo sucesso em todas as empreitadas, saúde, paz e muito amor.
    Sempre penso em vc. precisamos marcar um encontro porque se não passa ano entra ano e a gente nunca consegue se ver.
    Parabéns do fundo do coração!
    bj saudades!
    Yvone

    ResponderExcluir
  12. www.comdemajundiai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Linda Pri Forest!!

    Vou busca-lo...

    Valeu,

    Bjo Grande
    Paty

    ResponderExcluir
  14. Oi Santinha! Não esquente não, foi dia 25, domingo, dia de repouso.

    Sinto falta das minhas incursões nos blogs dos amigos, mas com projetos a todos vapor, tive q abrir mão até da constância do ECOS.

    A Pri é uma preciosa mesmo, uma amiga sensível e sincera, destas que carregamos pela vida.

    Obrigada por ser a percursora e pelos predicados!

    Bjo Grande em seu coração.

    Paty

    ResponderExcluir